• Larissa Moraes e Nael Rosa

Macega denuncia fraude na lista de cestas básicas, Adilson diz que sistema é baseado no Cadastro Úni


O vereador Marcial Guastucci, o Macega, do MDB e principal oposicionista o governo de Vitor Ivan Gonçalves Rodrigues, do PDT, novamente está no centro de uma grande polêmica. Ele afirma: “mortos foram selecionados para receber cestas básicas”.


O parlamentar se refere aos gêneros alimentícios descarregados em Piratini na última quinta-feira, enviados pelo Governo Federal devido o decreto de emergência declarado em fevereiro pela prefeitura ter sido reconhecido pela União.


Em sua conta na rede social ele dá um aviso contundente à Secretaria de Cidadania e Assistência Social: “responsáveis pela entrega não distribuam como está selecionado, porque se fizerem, vão se incomodar demais, pois eu não brinco de fazer oposição”.


Macega disse que após a publicação da lista dos contemplados pela imprensa local recebeu inúmeras denúncias de fraude na seleção, entre elas, a de que duas pessoas já mortas estão entre os selecionados.


“João Reginaldo Marques Matias e Israel Soares Porciúncula já são falecidos”, assegura o vereador que estende sua denúncia afirmando que também entre os nomes divulgados estão pessoas que residem na cidade e ainda aposentados que não plantam nenhuma cultura, e como os alimentos são para agricultores prejudicados pela estiagem, não deveriam receber as cestas básicas.


E o vereador que também é advogado foi além. Na noite de domingo, junto ao plantão do Fórum, protocolou uma ação popular requisitando uma antecipação de tutela pedindo a suspensão da distribuição dos gêneros até que se vistorie cada propriedade dos beneficiados e com isso identificar os reais agricultores atingidos pela seca.


O que diz o secretário?


Indagamos o titular da pasta de assistência social, Adilson de Oliveira que chamou de “descabida” a denúncia do oposicionista justificando dizendo que a demanda das cestas básicas constitui uma parte do plano de trabalho do decreto e que foi utilizado um critério justo e democrático baseado no Cadastro Único dos SUAS, que é o Sistema Único de Assistência Social o qual enquadrou todos os produtores rurais com renda até dois salários mínimos e que tem cadastro ativo.


“Cabe esclarecer que o Cadastro Único é auto declaratório, então as informações como renda e atividades exercidas são de responsabilidade do cidadão declarante”, disse o secretário.


Quanto à listagem trazer nomes de pessoas já falecidas, Oliveira esclareceu que pode ocorrer situações que o beneficiário constante na lista já tenha vindo a óbito ou mudado de endereço, no entanto a família não atualizou esta informação no Cadastro e a validade desses ainda não expirou.


Ele finalizou garantindo que tão logo sejam distribuídas as cestas básicas, aquelas que sobrarem em razão de óbito, mudança de domicílio ou por outros motivos, serão devidamente destinadas de acordo com as orientações da Defesa Civil Estadual.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2020