• G1

Apagão na Argentina começou em linha de transmissão entre centrais nas fronteiras com Paraguai e Uru


O apagão que afetou milhões de pessoas na Argentina e no Uruguai neste domingo (16) foi provocado por uma falha na conexão de transporte entre duas das centrais do sistema interligado, que ficam no Litoral argentino, como é conhecida a região nordeste do país. A informação foi divulgada pela Edesur Argentina, uma das empresas responsáveis pela distribuição da eletricidade no país.

"A falha na rede que originou o apagão em nível nacional se originou em uma conexão de transporte de eletricidade entre as centrais de Yaciretá e de Salto Grande, no litoral argentino. Isso ativou as proteções das centrais geradoras, que saíram de funcionamento e produziram o apagão", afirmou a Edesur Argentina.

Juntas, as populações de Argentina e Uruguai somam cerca de 48 milhões de pessoas. Até as 16h30, as quatro empresas que distribuem a energia nos dois países vizinhos disseram que praticamente todo o serviço já havia sido normalizado.

O que é o sistema interligado? Conhecido pela sigla Sadi, o Sistema Argentino de Interconexão Elétrica é a rede de distribuição de energia do país. Ela também tem interligações com o Uruguai, por isso o apagão afetou ambos os países.

Na tarde deste domingo (16), a Edesur divulgou um mapa mostrando as conexões do Sadi, e disse que o problema teve início no transporte da conexão entre dois dos pontos na região noroeste do mapa, que fica próxima das fronteiras da Argentina com o Uruguai, o Paraguai e o Brasil.


Como é feita a distribuição? O sistema não é usado por apenas uma empresa. No total, três distribuidoras atuam na Argentina: a Edesur, a Edenor e a Edelap.


Por meio de uma rede social, as três empresas atualizaram os usuários durante todo o domingo sobre o restabelecimento do sistema. A Edesur informou por volta de 16h que 95% do serviço havia sido restabelecido, assim como a Edenor. A Edelap disse por volta de 15h30 que já tinha restabelecido o serviço para 100% de seus clientes.


Já no Uruguai, quem responde pelo serviço é a empresa estatal Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas (UTE). Ela afirmou que a falha afetou boa parte do país, sobretudo as cidades do litoral do Rio da Prata, que inclui a capital Montevidéu, e disse que, às 13h40, 88% dos serviços já eram considerados normalizados.

banner ideau.jpeg
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2020