• Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2020

  • Douglas Dutra

Crise no transporte escolar é discutida em audiência pública


Na segunda audiência pública realizada nesta quarta-feira (2) na Câmara de Vereadores de Piratini, a pauta foi a crise que atinge o transporte escolar do município. O atraso frequente no pagamento dos transportadores terceirizados faz com que muitos alunos fiquem dias sem ter como ir à escola.

Na audiência, participaram o prefeito Vitor Ivan Rodrigues, a secretária de educação Fransilene Madruga e a secretária de finanças, Liane Moraes, além da funcionária da Secretaria de Educação responsável pela organização do transporte escolar.

O público presente e os vereadores apresentaram sugestões de solução para o problema, no entanto, a maioria é impossível de ser aplicada ainda neste ano letivo. Uma das propostas, sustentada pelos vereadores Lourenço de Souza (PT) e Sérgio Castro (PDT), é a implementação do turno integral nas escolas do interior. Nesta ideia, os alunos teriam aula durante dois turnos por dia, três dias por semana, reduzindo de forma significativa o valor gasto com o transporte.

A secretária de finanças destacou que o município dedica 37% do orçamento para a educação, quando é obrigado por lei a dedicar a partir de 25%, e que, mesmo assim, estes valores são insuficientes para arcar com os custos do transporte escolar, que atualmente conta com 58 linhas e possui menos de 10 em veículos próprios do município.

Além disso, o repasse do governo do Estado, de cerca de R$ 64 mil por mês, não é suficiente para cobrir todos os gastos, que ultrapassam os R$ 100 mil por mês.

A secretária de educação lamentou que, enquanto a prefeitura se dedica a manter o transporte escolar, muitas vezes acaba tendo que se deixar de lado outros aspectos da educação.

No entanto, parte do problema já está sendo sanada. Segundo Fransilene, duas linhas, a da Ferraria e a da Solidão, que estavam paradas voltaram à atividade nesta quinta-feira, e somente a linha da Escola Sepé Tiaraju segue parada.

Em sua fala de conclusão, o prefeito Vitor diz que a administração está sendo transparente e não está escondendo o problema, e agradeceu o empenho do legislativo em auxiliar na busca por uma solução, "estamos tratando o problema com seriedade e com clareza". Vitor também saudou os motoristas do transporte escolar terceirizado, que seguem trabalhando muitas vezes sem receber pontualmente.