top of page

Chuva atrapalha, mas Exército entregará novo trecho da duplicação da BR-116 em maio


O ano passado trouxe poucos avanços na duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas. Depois de um período que as obras quase pararam, em 2022 este cenário deve ser um pouco melhor.


Um exemplo é o trabalho que o Comando Militar do Sul (CMS) vem desempenhando no trecho de 50 quilômetros de sua competência. Uma nova entrega será realizada no início de maio.


As constantes chuvas que caíram na região, em fevereiro e março, atrapalharam um pouco os planos. Apesar disso, as equipes do 1º Batalhão Ferroviário trabalham para concluir a duplicação em mais 10 quilômetros.


Também deve ser liberado todo o trânsito no viaduto de Barra do Ribeiro. Em janeiro, uma faixa foi entregue para uso. A estrutura possui 60 metros de extensão e faixa dupla.


O Exército é responsável pelas obras entre entre os quilômetros 300 e 351. Desse total, 25 quilômetros de pista duplicada já está em uso.


A primeira liberação ocorreu em abril de 2020 e permitiu a entrega de 5 quilômetros. Em dezembro do mesmo ano, outros 10,5 quilômetros. A última liberação ocorreu em julho de 2021, com mais 10 quilômetros.


O Batalhão Ferroviário deveria concluir os serviços em março de 2023. Porém, o CMS comunicou que o prazo foi ampliado para maio.


A duplicação nos lotes um e dois era de responsabilidade da construtora Constran. Em recuperação judicial, a empresa não conseguiu obter o seguro garantia para retomar o contrato e teve seu vínculo rescindido com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em 17 de dezembro de 2018.


Em setembro, a obra irá completar uma década. As entregas pontuais de trechos prontos iniciaram a partir de agosto de 2019.


Dos 211,2 quilômetros em obras, os usuários da rodovia já usufruem de 135 quilômetros de pistas duplicadas. Isso representa 64% do trecho com pista dupla pronta. A expectativa do Dnit é concluir os 76 quilômetros restantes até em 2023.


Mais uma obra do Exército


Concomitante à duplicação, o 1º Batalhão Ferroviário começa a se mobilizar em Bagé. Militares já iniciaram os trabalhos de reforma e instalações da 2ª Companhia de Engenharia de Construção.


Equipamentos e materiais, que serão utilizados na construção da Barragem de Arvorezinha, já começaram a chegar no município gaúcho. Ainda não há informação, porém, de quando os trabalhos começarão de fato.


Também ocorre a elaboração dos estudos das condicionantes ambientais do canteiro de obras e da barragem. O Exército trabalha em parceria com a prefeitura e o Ministério de Desenvolvimento Regional.


O investimento será de R$ 55,9 milhões. A expectativa é de que, após o início das obras, a nova barragem fique pronta em até 48 meses. A obra deverá, enfim, resolver um dos grandes problemas que a região da Campanha enfrenta há décadas.

Comments


bottom of page