top of page
  • R7

Eleitor que perdeu o título tem mais dois dias para pedir 2ª via


Eleitores que perderam ou que tiveram o título eleitoral extraviado têm até esta quinta-feira para solicitar a segunda via do documento. Ele pode ser solicitado no cartório da zona eleitoral ou impresso direto do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para conseguir a segunda via, o eleitor não pode ter débitos pendentes com a Justiça Eleitoral, como multas por ausência não justificada em eleições anteriores, por exemplo.


Neste ano, o eleitor com situação regular na Justiça Eleitoral poderá imprimir o título diretamente na ferramenta Autoatendimento do Eleitor, no Portal do TSE na internet, no campo “Imprimir o título eleitoral”.


e-Título

Outra alternativa é usar a versão digital do título eleitoral, o e-Título, que pode ser obtido gratuitamente por meio do aplicativo na Apple Store e Google Play.


Essa versão do título também possibilita a apresentação de justificativa eleitoral, além de ser possível acessar serviços e informações, como a emissão das certidões de quitação eleitoral e de crimes eleitorais; o acesso e a emissão de guia para o pagamento de multas; a consulta ao local de votação; e a inscrição como mesário voluntário, entre outros. Tudo sem a necessidade da ida pessoal ao cartório.


O título eleitoral não é o único documento que possibilita a participação nas eleições. As pessoas aptas a votar podem se apresentar à mesa de votação com qualquer documento oficial com foto, como a carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista ou o passaporte, por exemplo.


O voto no Brasil é obrigatório e quem não comparece no dia da eleição paga multa de aproximadamente R$ 3,50 por cada turno se não justificar a falta.


Eleitores aptos a votar

Nas eleições deste ano, o Brasil terá uma quantidade recorde de eleitores aptos a votar: 156.454.011. Em comparação com o último pleito geral, em 2018, o país ganhou quase 10 milhões de novos eleitores. Naquele ano, 147.306.275 pessoas puderam votar, uma diferença de 6,2% em relação ao número de 2022.


Segundo o TSE, a adesão de adolescentes de 16 e 17 anos ao processo eleitoral foi fundamental, apesar de o voto ser facultativo para essa faixa etária. De acordo com o tribunal, 2.116.781 jovens poderão votar em outubro. Esse número é 51,1% maior que o registrado em 2018, quando 1.400.617 adolescentes puderam ir às urnas.


O tribunal ainda destacou o crescimento do total de eleitores acima de 70 anos, que também não são obrigados a votar. Nas eleições deste ano, 14.893.281 idosos poderão participar. O salto em relação a 2018 foi de 23,82% — há quatro anos, 12.028.608 brasileiros com mais de 70 anos estavam aptos a votar.


De acordo com o presidente do TSE, ministro Edson Fachin, os números são "efetivamente impressionantes" e demonstram "a pujança cívica da cidadania", uma vez que os dados revelam "o maior eleitorado cadastrado da história brasileira".

bottom of page