• Douglas Dutra

Piratini completa um ano de pandemia

Nesta sexta-feira (26), Piratini completa um ano de pandemia se aproximando dos 500 casos de Covid-19.

No dia 26 de março de 2020, foram registrados os dois primeiros casos no município, em um casal que havia estado em um cruzeiro. Neste mesmo dia, o Rio Grande do Sul somava 190 casos e registrava o primeiro óbito, hoje, são mais de 800 mil casos e 17 mil óbitos. No Brasil, eram 2.915 casos e 77 mortes, hoje, são mais de 12,3 milhões de casos e de 303 mil óbitos.


Os próximos casos em Piratini foram registrados somente dois meses depois, em 26 de maio, e a primeira morte, de um homem de 58 anos, foi registrada em 28 de junho, quando Piratini somava oito casos.


2020 foi marcado pelas restrições ao comércio e à circulação de pessoas em todo o mundo. Em Piratini, já em 16 de março, as aulas presenciais foram suspensas. A perspectiva de voltar em 15 dias se estende até hoje, e não há uma data realista para volta das aulas presenciais.


No dia seguinte, 17 de março, a Prefeitura Municipal decretou o primeiro período de suspensão de atividades, que mudou de forma e intensidade ao longo do último ano.

Ao longo de todo o ano de 2020, foram registrados 165 casos e cinco mortes por Covid-19 no município. Estes números foram rapidamente superados em 2021, com a forte ascensão da pandemia. Entre janeiro e março, foram registrados 310 casos e 8 mortes por Covid-19 em Piratini.


No dia 19 de janeiro deste ano, a primeira dose de vacina aplicada em uma enfermeira de Piratini simbolizou a esperança de fim da pandemia. Segundo o governo do Estado, Piratini já recebeu 4.370 doses de vacinas, entre Coronavac e AstraZeneca, que estão sendo aplicadas nos grupos prioritários. 2007 doses já foram aplicadas, 45,9% do total. Foram 1745 primeiras doses e 262 segundas doses aplicadas.