Piratiniense suspeito de duplo homicídio e feminicídio é preso em Capão do Leão


Um crime brutal ocorrido no início desse mês em uma propriedade rural de Capão do Leão foi elucidado pela Polícia Civil na última sexta-feira (18), com a prisão do suspeito na saída de um culto evangélico. No dia 5 de março os três corpos foram encontrados carbonizados entre os escombros da residência da família no interior. Após a perícia foram constatadas que as vítimas seriam três Piratinienses.


O homem de iniciais C.R.O.S.R, de 63 anos, suspeito das mortes foi preso pela equipe de Investigação da Delegacia de Polícia do Capão do Leão, que cumpriu mandado de prisão preventiva por duplo homicídio e feminicídio expedido pala 1ª Vara Criminal da Comarca de Pelotas.


O Delegado de Polícia, Sandro Bandeira, titular da DP de Capão do Leão, representou pela decretação da prisão preventiva do suspeito depois que ele foi interrogado pela segunda vez e assumiu a autoria dos crimes. Ele também entregou a arma que usou no crime, um revólver calibre 38, antes de as vítimas serem queimadas junto com a casa.


Em seu depoimento, o suspeito afirmou que chegou à propriedade por volta das 13h30, do dia 3 de março para conversar com sua ex-mulher, mas acabou deferindo seis tiros nas três vítimas (ex-mulher, filha e genro) para se defender de um tiro que teria sido efetuado em sua direção por uma das vítimas, mas negou que tenha causado o incêndio que consumiu o chalé e carbonizou os corpos.


Ainda segundo ele, após confirmar que elas estavam mortas, retornou para sua casa e, por volta das 17h do mesmo dia, retornou ao local do crime com a intenção de chamar a polícia e se entregar, porém, ao encontrar os corpos queimados decidiu retornar para casa. Ele também disse ao delegado que no dia em que os corpos das vítimas foram encontrados compareceu na DP, mas decidiu não assumir a autoria dos crimes porque estava acompanhado do filho.


Com informações de Jornal Tradição e Polícia Civil.