• Douglas Dutra

Região entra em bandeira preta no Distanciamento Controlado

Pela primeira vez desde que o modelo de Distanciamento Controlado foi adotado, em maio, o Rio Grande do Sul registra regiões em bandeira preta, de risco altíssimo para o contágio por coronavírus, no mapa preliminar divulgado pelo governo do Estado nesta sexta-feira (11). O mapa definitivo entra em vigor no dia 15 e vai até o dia 21 de dezembro.

As regiões de Bagé e Pelotas, da qual Piratini faz parte, foram as duas regiões classificadas em bandeira preta. Das outras 19 regiões, Cruz Alta recebeu classificação laranja, as demais, bandeira vermelha.


A bandeira preta aumenta as restrições, no entanto, não deve ser confundida com o lockdown, que é o fechamento completo. Sob bandeira preta, serviços essenciais poderão continuar funcionando.


As regiões e municípios têm até domingo para apresentar recursos. O mapa definitivo será divulgado na segunda-feira (14) para entrar em vigor a partir da terça-feira (15).


A prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas (PSDB), disse que irá recorrer da classificação e que acredita que os 10 leitos de UTI da Santa Casa de Pelotas que serão abertos na próxima semana poderão ajudar a reverter o quadro.


As duas semanas em que a região de Pelotas esteve em bandeira vermelha não foram suficientes para conter o avanço da pandemia, e pela quinta semana consecutiva foram registrados recordes de novos casos, além de alta ocupação de leitos de UTI.


A bandeira preta é a restrição máxima do modelo de Distanciamento Controlado, e significa que tanto a capacidade hospitalar como o contágio por coronavírus atingiram níveis críticos.


As regiões de Bagé e Pelotas compreendem os 28 municípios mais ao sul do estado, e concentram 9,3% da população gaúcha. Segundo o governo do Estado, Pelotas registrou 41 óbitos, quase o dobro da semana passada, quando 23 pessoas morreram. Já Bagé registrou 10 óbitos, a mesma quantidade da semana anterior, porém quintuplicou em relação à semana retrasada.


O governo também apontou o aumento da ocupação de leitos de UTI nas regiões de Pelotas e Bagé, de 38 para 50 em casos de Covid-19 e de 54 para 74 em casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG).


Confira os protocolos de bandeira preta: