• Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2019

PTG resto de 35: 35 anos de história

20/9/2017

 

Tradicional no município, o PTG Resto de 35 é conhecido por ser mais que um piquete, é uma entidade beneficente que apoia a todos que precisam. Várias campanhas já levaram o seu nome. No ano de sua fundação o PTG Resto de 35 apresentou-se com apenas 12 cavalarianos, e no 2º ano atingiu seu objetivo: apresentaram no desfile do dia 20 de setembro dois destaques: “Os quatro trajes típicos da Indumentária gaúcha. E a moradia tradicional do gaúcho: o rancho de santa fé”.

 

O PTG que possui 15 títulos em desfiles tradicionalistas, mais 18 vezes em 2º ou 3º colocado, foi um dos maiores incentivadores da Semana Farroupilha de Piratini em sua nova forma. Já promoveu dezenas de festas campeiras, foi idealizador do desfile da paz, festa campeira onde contou com a parceria da maioria dos PTG’s da cidade, promovida aos moldes do M.T.G. o qual deu uma dinâmica funcional e respeitosa ao evento. O piquete também é o idealizador do Rodeio Show Cantar das Esporas, que este ano chegou a sua 11º edição e sendo o 2º maior evento da Capital Farroupilha, gerando assim turismo e empregos.

 

Neste ano de 2017 o PTG completa seus 35 anos, e pelo tamanho se intitula como uns dos maiores do Estado, sendo assim a patronagem e organizadores preparam um desfile com visual novo, contando um pouco sobre sua trajetória. Vagner Guastucci, popular “Patorra”, conta “Defendemos as cores vermelho e branco por anos a fio. O vermelho é a cor do fogo e do sangue, por isso está associado à energia, guerra, perigo, força, poder, determinação, assim como a paixão, ação, desejo e amor. A cor branca significa paz, pureza e limpeza. É também chamada de "cor da luz" porque reflete todas as cores do espectro. A cor branca reflete todos os raios luminosos proporcionando uma clareza total. Neste ano nosso tropel de encerramento inseriu mais uma cor em nossa bandeira: a cor preta, que consiste na cor mais escura de todo o espectro das cores e simboliza respeito, morte. Essa cor representa o luto eterno qual temos aos cavalarianos do Resto de 35 que nos deixaram.”

 

O Resto de 35 entra na avenida com cerca de 260 cavalarianos, 20 alegorias prometendo emocionar por onde passa. Também inovando serão inclusos cavalarianos de outras cidades na alegoria “o Rio Grande vem a cavalo”, que mostra a amizade gerada entre municípios vizinhos como Pedro Osório, Cerrito, Canguçu, Pinheiro Machado, Pelotas entre outros. Destacando também a ala que exaltará as “mulheres guerreiras” que fizeram parte dessa história.

 

Patrão da atual gestão, Glaiton “Maninho” fala sobre as dificuldades: “Não é fácil ser patrão de um piquete grande. Os visitantes podem esperar mais um grande desfile de encher os olhos. E principalmente minha patronagem agradece ao macega e o cabrinha. Que há 35 anos atrás, acreditaram que jovens tradicionalistas podiam representar cultura e uma tradição e fazer igual ou melhor que tantos que aqui já passaram. E também ao Patorra, que é hoje a cara do 35.” E garante que as responsabilidades são muitas, mas que a organização está fazendo o possível e o impossível pra trazer um mega desfile.

 

Patrões: Macega, Juliano Gomes, Cleber Coelho, Dodo, Deivid Neves, Chimango, Sadi Guastucci, Diego Leite, Fernando Lucas, Ivano Martins.

Patrão atual: Glaiton Maninho

Prenda Juvenil: Dil Gomes

Prenda de Honra: Satia Guastucci

Desfile escrito por: Vagner Guastucci (Patorra)

Organização: Patorra, Adeline, Diego Leite, Augusto Cruz, Ricardo Fagundes, Macega, Lidiana Madruga, Taifer, Pablo Sandi, Glaiton, Dil Gomes, Antônia Guastucci

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Please reload