• Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2019

Frota do transporte escolar Piratiniense recebe o reforço de mais dois veículos

23/5/2018

Dois veículos até então usados para transporte escolar no município de Canguçu agora reforçam a frota para este fim em Piratini após o governo do Estado retomá-los em virtude da Prefeitura Municipal de Canguçu ter rompido o convênio que tinha com o Palácio Piratini para transportar alunos até os educandários estaduais.

 

Um ônibus e um micro ônibus passarão por manutenção mecânica e serão inseridos  em duas das trinta rotas hoje terceirizadas, o que acarretará na diminuição de custos com o vai e vem de alunos principalmente da zona rural.

 

“Hoje nós temos 48 linhas fazendo os percursos existentes e desses apenas dezoito são realizadas por carros que pertencem ao município, então assim que estiverem aptos a rodar, já que um deles necessita de um investimento de vinte mil reais, serão inseridos em itinerários que atualmente são realizados por empresas”, garantiu o prefeito Vitor Ivan Gonçalves Rodrigues (Vitão) do PDT.

 

Vitão aproveitou a chegada dos transportes para informar que seu governo tem uma meta: trazer para as mãos do município no mínimo 90% do transporte de alunos, o que ele concorda não será uma tarefa fácil, mas possível mesmo diante de uma dívida que já passou a casa de um milhão de reais.

 

“Quando eu assumi como prefeito havia uma dívida de R$ 1,2 milhão com empresas terceirizadas quem fazem ou faziam o recolhimento e a entrega dos estudantes, hoje o valor que devemos é inferior R$ 300.00,00 ( trezentos mil reais)” informou o prefeito.

 

Mas para estar próximo a quitar a dívida feita por seu antecessor, Vilso Agnelo Gomes, o atual prefeito admite que a prefeitura acabou contraindo um novo déficit que poderá se manter até o final de seu governo, já que os atuais recursos estão sendo usados para pagar contas do passado.

 

“Estamos pagando os valores devidos e que estão em atraso, mas para fazer isso acabamos gerando uma nova dívida com as empresas que nos prestam serviço atualmente”

 

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Please reload