• Larissa Moraes

Um final feliz para dona Arani Duarte


Na quinta-feira passada (18), uma professora de Educação Física de Barbacena (Minas Gerais), fez uma publicação em seu facebook com um apelo: encontrar a família de uma senhora que reside em um Lar de Idosas em sua cidade. A professora se chama Débora Campos, tem 23 anos, e relata que desde criança visita o lar com sua mãe, sempre ouvindo a mesma história desta senhora.


A senhora é dona Arani Duarte (foto- à esquerda), de 60 anos, que sempre que pode conta: nascida em Piratini, aos 13 anos, e por motivos que ela não entende, foi entregue pelos próprios pais a uma família residente no Rio de Janeiro, porém, nunca tratada como filha, mas sim como empregada doméstica da casa de quem a deveria cuidá-la. E, como se não fosse o bastante, quando aos 40 anos ela desenvolveu um problema no joelho, a família resolveu leva-la para este asilo no qual ela está hoje em dia.


A publicação na rede social que continha os nomes também dos familiares da senhora se espalhou em diversos grupos de classificados da região e de Piratini, assim tendo um grande alcance e várias pessoas na procura de informações sobre a família. Débora relatou que mesmo com tudo que aconteceu, Dona Arani ainda gostaria de encontrar sua família e sempre que toca no assunto, se emociona.


Hoje (20/05), após noticiados os nomes em nosso programa Nativa Variedades, por Nael Rosa, recebemos em nossos estúdios dona Celecina Gonçalves Motta, 78 (foto- à direita), que relatou ser prima de dona Arani, e nos contou um pouquinho sobre a história da família: “me lembro dela quando éramos pequenas...” e diz que ninguém na família entendeu direito a situação, mas que lembra que foi o pai de dona Arani que entregou ela à essa família, e que ele estava na Santa Casa de Pelotas no ocorrido. “-... Desde aí nunca mais ninguém soube onde ela estava” – citou. E também nos contou que os pais de sua prima já faleceram algum tempo, aqui em Piratini, e quanto aos irmãos, seu Adenir e dona Alvanir também já faleceram, assim sobrando apenas Dona Alda que reside hoje em dia em Porto Alegre.


A família já está sabendo do paradeiro de dona Arani e agora entrará em contato, o importante no momento é saber que a mobilização deu certo, e que enfim esta senhora que tanto sofreu, ao menos realizará o sonho de conversar com alguém de sua família.


Aguarde mais informações.

banner ideau.jpeg
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon

Nativa FM 94.1 - Todos os direitos reservados © 2020